Portal da Cidade Cascavel

dengue

Levantamento aponta risco médio de epidemia de dengue em Cascavel

Média de Infestação: 3,9 % é considerada de médio risco pelo Ministério da Saúde.

Postado em 10/01/2019 às 19:37 |

(Foto: Secom)

A Sesau realizou entre os dias 07 e 09 de Janeiro, o 1° LIRAa de 2019. O resultado foi de 3,9% de infestação pelo mosquito Aedes aegypti.  De acordo com as normas técnicas do Ministério da Saúde, risco médio para epidemia de arbovirose (dengue, zika vírus e febre chikungunya). A maior preocupação está com as localidades que fazem parte do estrato 10, região Sul da cidade, que apresentou 9,3% De infestação. Os estratos 5 e 6, região oeste da cidade, também preocupam pois a infestação chegou próximo de 5%.


Outra preocupação são os criadouros, locais que foram encontradas larvas: Resíduos Sólidos (lixo) com 38,5% do total e Depósitos móveis (bebedouros de animais, vasos de plantas) com 32,5%.


O número de imóveis inspecionados é determinado em função da densidade populacional. Neste ciclo foram inspecionados 4.352 imóveis, divididos em 10 extratos, num total de 117 localidades cadastradas no Setor de Controle de Endemias.




Durante a realização do LIRAa é realizada técnica de pesquisa larvária, coletadas larvas em  100% dos depósitos encontrados em cada domicílio, o que permite além de quantificar as amostras, identificar o tipo de criadouro, evidenciando a prevalência de criadouros em cada estrato. 


No total foram coletadas 200 amostras de larvas positivas para Aedes aegypti, destas 56 foram no estrato 10, que contempla os bairros, Padovani, Jardim União, Santa Catarina, Faculdade, Universitário, Turisparque, Veredas, Cascavel Velho, Jardim Itália, Veneza, Presidente e Aquarela do Brasil. Este estrato apresentou média de infestação de 9,3%, ou seja, acima do total geral do município. Outra região que apresentou índice elevado foi à região Oeste nos estratos 05 com 4,3% de infestação e estrato 06 com 4,3% de infestação. 


Ação educativa

A partir da próxima semana, a Divisão de Vigilância em Saúde Ambiental/Setor de Controle de Endemias, realizará ação de conscientização, notificação e eliminação mecânica de focos e criadouros do vetor, na região do estrato 10. "Pedimos a colaboração de todos, que durante as suas atividades, auxiliem na divulgação e orientação dos cuidados para evitarmos uma epidemia de arbovirose", lembrou a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi.


Para Ana Paula Barbosa, responsável pelo Setor de Endemias,  "vale ressaltar que é necessário que toda a sociedade esteja mobilizada a fim de reduzir esta infestação, nesta estação quente e chuvosa o que  facilita o aumento do número de casos das doenças transmitidas pelo vetor e para isso cada cidadão deve fazer sua parte, juntamente com o serviço público.

Fonte:

Deixe seu comentário