Portal da Cidade Cascavel

SEQUESTRO

Polícia dá detalhes sobre caso de sequestro de bancário

Bancário foi rendido e precisou pagar R$ 300 mil aos bandidos; ele saiu do banco com dinheiro em caixas de papelão

Postado em 08/02/2018 às 14:01 |

(Foto: Divulgação)

A Polícia Civil divulgou, no final da manhã desta quinta-feira, informações sobre o caso de sequestro registrado em Cascavel.

Segundo a polícia, na segunda-feira, por volta das 22 horas, uma família foi rendida em casa por três homens armados com pistolas e encapuzados. Eles foram mantidos reféns por toda a noite. 

No dia seguinte, terça-feira (6), um dos familiares, funcionário de um banco localizado nesta cidade, foi obrigado a se dirigir ao seu trabalho, e mediante ameaças de morte contra sua família, os marginais exigiam a retirada de R$ 500 mil.

O valor exigido era inviável, visto não haver disponibilidade em espécie, e ainda sob ameaças de morte, obrigaram o funcionário a entrar em contato com seu superior, quando, depois de negociação, estipularam o valor de R$ 300 mil para o resgate da família.

Os marginais permaneceram na residência até as 05h, e depois, dois deles saíram do local, no carro da família, levando a esposa e filhos, enquanto um terceiro marginal permaneceu na casa com o funcionário, até o retorno de um daqueles que tinham saído.

A família ficou sequestrada sob guarda de um dos marginais, enquanto dois deles orientavam o funcionário para ir para o trabalho normalmente, obrigando-o a não falar sobre o ocorrido, nem comunicar a polícia, sob ameaças de morte de seus familiares.

O funcionário cumpriu as determinações dos marginais, e próximo do horário de almoço, saiu do local de trabalho com o dinheiro exigido, R$ 300 mil, em duas caixas de papelão.

Os marginais determinaram que o funcionário deixasse as caixas com o dinheiro ao lado de uma placa de sinalização de trânsito “Pare”, na região oeste da cidade.

O dinheiro foi deixado no local determinado, sob garantia de que sua família seria liberada depois de 40 minutos, o que não aconteceu, quando somente por volta das 16h ele recebeu noticia de seus familiares, que já estavam em casa, depois de terem andado cerca de 15 km para chegarem na residência, e todos bem.

Este é o resumo dos fatos, que foi mantido em sigilo por conta das investigações que foram iniciadas tão logo houve a comunicação para à policia, pouco antes das 16h do dia 06/02, quando os órgãos de segurança pública passaram a tomar as providências.

Equipes do GDE – Grupo de Diligências Especiais de Cascavel, desenvolveram diligências desde então, tendo como objetivos primeiros a garantia da segurança daquela família, e na busca da identificação e localização dos autores do crime, o que continua ocorrendo incessantemente.

Lamentamos que tenham sido divulgadas noticias antecipadamente, por um órgão de imprensa de Cascavel, deixando claro a todos que nenhuma informação partiu da 15ª SDP, o que seria feito oportunamente quando tivéssemos certeza da segurança da família, e resultado positivo nas investigações, que como dissemos, seguem em curso.

A Polícia Civil de Cascavel nunca se eximiu em prestar informações à sociedade, através da imprensa, pois sabemos da importância dos meios de comunicação, com quem temos uma parceria que vem sendo construída ao longo de muitos anos.

Entretanto, acima de tudo, está o compromisso maior da instituição policial civil, Servir e Proteger, e quando vitimas e/ou a investigação podem ser colocadas em risco, temos o cuidado da preservação de informações que possam comprometer o trabalho investigativo ou colocar pessoas em risco.

Nenhuma notícia vale uma vida ou o prejuízo no esclarecimento de um crime.

O trabalho continua, e procuraremos estreitar cada dia mais os laços de parceria com a imprensa de Cascavel e região, e neste sentido contamos com a compreensão e colaboração de todos.

Fonte:

Deixe seu comentário