Portal da Cidade Cascavel

Férias:

Segurança mesmo com a vazia

CREA orienta à procura de profissionais para fazer instalação dos equipamentos de segurança.

Postado em 10/01/2019 às 07:35 |

Não é só instalar: segurança é coisa séria, chame um profissional (Foto: Secom)

Viajei e deixei a casa sozinha, e agora, como montar um sistema de segurança eficiente para proteger meu patrimônio? Antes de tudo, procure um profissional.


Os números não mentem. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, em feriados e períodos de férias, tentativas de assalto a residências e estabelecimentos nas grandes cidades tendem a aumentar cerca de 15%. E sabe aquela história de deixar uma luz acesa para parecer que tem gente em casa? Esqueça. Especialistas em segurança desaprovam isso porque não faz sentido luzes acesas de dia, e os bandidos percebem. Então, o que fazer?


São nesses períodos, de férias prolongadas, que as pessoas optam por sistema de segurança eletrônico, como centrais de monitoramento, daqueles em que você pode ver sua casa em tempo real, mesmo relaxando à beira-mar, até sensoriamento de presença, alarmes sonoros ou mesmo cercas eletrificadas.


Mas cuidado, porque esses mecanismos devem passar pelas mãos de profissionais devidamente habilitados para instalá-los. “Um dos grandes erros de quem quer colocar sistema de segurança em sua residência ou empresa é não procurar um profissional habilitado para isso. Isso faz com que o ‘barato saia caro’, cause prejuízo ou até dores de cabeça maior”, frisa o engenheiro eletricista Rodolfo Azanha Batista, inspetor da Câmara de Engenharia Elétrica do Crea-PR – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná – em Cascavel.


Pela desinformação ou outros motivos, muitos contratantes não exigem a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) do profissional ou da empresa que irá executar os serviços de projeto, instalação ou manutenção do sistema eletroeletrônico de segurança. Cenários assim geram uma situação irregular perante a Resolução nº 1025/2009 do Confea - Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, podendo acarretar riscos de contratar serviços sem garantia e sem confiabilidade. “O profissional habilitado pelo Crea-PR é quem vai garantir que todas as normas e leis sejam cumpridas, indicando o tipo correto de equipamento a ser utilizado”, explicou Azanha.


Central de monitoramento

“Dar um jeitinho”, ou “fazer gambiarra”, está descartado quando o assunto é segurança. Para instalação de câmeras, ou mesmo criação de uma central de monitoramento, os chamados CFTV (Circuito Fechado de Televisão) de uma residência, exige-se planejamento, materiais específicos e instalação adequada para que invasores ou vândalos não possam ter acesso nenhum aos cabos de energia, periféricos ou às câmeras de monitoramento.


Cercas elétricas

É só colocar um fio eletrificado em cima do muro e pronto? Nada disso. Além de ser crime previsto em lei, a instalação irregular de uma cerca elétrica pode, fatalmente, levar até mesmo o proprietário do imóvel ou seus familiares a óbito.


“Tem algumas pessoas que acabam eletrificando um arame, ou usando cerca elétrica que é utilizada em pastos, para controle de bovinos, e isso é impensável. Pode matar uma pessoa. Um profissional indica a melhor cerca elétrica para o tipo de instalação, dentro das normatizações legais. Por isso quem for buscar esse serviço deve e pode entrar em contato com o Crea-PR para pedir informações se aquela empresa ou profissional é habilitado. Isso evitará transtornos”, garante ele.


Em Cascavel, por exemplo, a Lei Nº 3.380/2002 que trata da instalação de cercas energizadas destinadas à proteção de perímetros, estabelece as diretrizes para esse serviço. A Lei determina, por exemplo, entre outras normativas, “que empresas e pessoas físicas que dediquem-se a instalação de cerca energizada, deverão possuir registro no Crea-PR e engenheiros ou técnicos eletricistas, na condição de responsável técnico”. Também estabelece que “será obrigatório em todas as instalações de cercas energizadas, a apresentação de anotação de responsabilidade técnica (ART) e do projeto técnico”.


Outro ponto importante destacado por Azanha é manter em dia a manutenção de todo o sistema. “Tudo tem uma vida útil, e a manutenção é vital para ter durabilidade dos produtos. Não é só instalar o equipamento e deixar lá, tem que ter manutenção. Hoje a tecnologia proporciona aparelhos melhores, automatizados. Tem para todos os gostos e bolsos”, argumentou. “Seja qual for o modelo de dispositivo de segurança que você for usar, tenha sempre em mente que a ajuda de um profissional habilitado é o melhor caminho, para sua própria segurança”, finalizou.

Fonte:

Deixe seu comentário